1 de fev de 2012

Matéria: Amor. Professor: a Vida ♥



Não é ódio, é orgulho reprimido. Egoísmo, talvez.


A vida é mesmo uma grande escola. Tenho aprendido muito com ela e aproveitado ao máximo cada experiência que esta me concede. E dentre todas estas "matérias da vida", consegui tirar proveito das diversas situações que as aulas de amor me proporcionaram. E, hoje, compreendo que amar não tem nada haver com sentimento de posse. Não que antes pensasse dessa forma, mas tinha para mim que quando os sentimentos eram recíprocos e verdadeiros, durariam para sempre. Ou pelo menos por muito tempo. Quase como se não houvessem possibilidades de términos. Já que era algo tão envolvente e fora do comum, como alguém poderia ter a coragem de por um ponto final? 

O amor, de certa forma, nos faz crescer. Amadurecer. E foi com este sentimento que compreendi que quando se ama, mesmo que o lugar do outro não seja ao nosso lado, mesmo que não sejamos nós quem o outro precisa, devemos aceitar as divergências que nos contradizem. Pois se amamos, devemos respeitar, compreender, aceitar as decisões. Mesmo que estas machuquem muito em nós. Ouso acreditar que, hoje, apaixonar-se, é uma façanha apenas para corajosos. Complicado, não? rs. Fazer o quê. É dicícil. É complexo. É confuso. É amor.

                                                                                 Laura B.

Nenhum comentário: