5 de jan de 2016

Quanto você é importante?




É muito interessante notar o quanto as pessoas sentem magoadas quando as tratamos da mesma forma que nos tratam. Não se dão conta que em tudo para que é ação, existe a reação. Será que ser o vilão implica realmente em deixarmos de ser coniventes com coisas que nos depreciam para apenas deixar de satisfazer necessidades egoístas?

O Amor próprio é a base fundamental para uma vida harmoniosa. Quando colocamos limites e impomos respeito à nós mesmos, é isso que a vida em geral passa a refletir em nós.
Não devíamos ser julgados por pensarmos em nós com prioridade. Claro, considerando o auxílio, a caridade e amor ao próximo, essa benfeitoria de valor deve começar primeiramente em nós mesmos e depois ser transpassada ao redor!

Vamos começar a nos amar, nos respeitar. Dizer 'sim' quando quisermos e principalmente 'não' quando não quisermos fazer algo. Isso pode aliviar nosso dia a dia em pelo menos 50%.
Não é uma tarefa fácil sair da condição de passivo dos outros para o condutor da própria vida, mas é algo importantíssimo e que vale muito apena para nossa evolução. Tenho praticado essa nova forma de vivência e me sinto cada vez melhor, com bagagem apenas minha.

Assim como um professor precisa se preparar para exercer sua função, adquirindo conhecimento e fortalecendo o que pretende fazer, que é ensinar pessoas, adquira uma forma de vida que possa te preencher e satisfazer antes de tudo e posteriormente, quando em condições, transpasse à outros. Faça isso! Ame-se, respeite-se! Somos muito preciosos para desperdiçar tempo vivendo outras vidas.



Forte Abraço,
Laura Beatriz.

Nenhum comentário: